Home / Notícias e Opinião / Após ‘bunker’ de Geddel, prédio mantém valor e vira ponto turístico

Após ‘bunker’ de Geddel, prédio mantém valor e vira ponto turístico

O Residencial José da Silva Azi, em Salvador (BA), se tornou um dos assuntos mais comentados do País após uma operação da Polícia Federal encontrar R$ 51 milhões em um de seus apartamentos.

Localizado em um bairro de classe média alta, na Graça, o edifício serviu como “bunker” e a fortuna foi atribuída a Geddel Vieira Lima, ex-ministro de Michel Temer.

Nas imobiliárias, os apartamentos de 92 m² de área privativa são avaliados entre R$ 487.200,00 (à vista, no valor promocional) e R$ 602 mil. A cobertura, de 186 m², chega a custar R$ 930.000,00.

A corretora de imóveis Adriana Rezende, que tem apartamentos disponíveis para venda no condomínio, garantiu ao R7 que, apesar da apreensão da PF, o valor de mercado permaneceu inalterado.

Ex-ministro Geddel Vieira Lima está preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília

Ex-ministro Geddel Vieira Lima está preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília
Alan Marques/06.09.2016/Folhapress

— Não mudou nada em relação às vendas. Não caiu o valor de mercado, não alteramos os preços, e a procura dos verdadeiros interessados continua a mesma.

LEIA TAMBÉM: PF prende ex-ministro Geddel Vieira Lima em Salvador

Porém, Adriana explicou que passou a receber ligações de pessoas que só estão em busca de informações sobre os imóveis.

— Só o que mudou foi a quantidade de curiosos. Muitas pessoas estão me procurando para saber se tenho alguma coisa para falar. E não para comprar.

PF contabilizou R$ 51 milhões na apreensão

PF contabilizou R$ 51 milhões na apreensão
Divulgação/Polícia Federal

O corretor Carlos Augusto Junior, que trabalha em uma outra imobiliária de Salvador, também frisou que os imóveis continuam com os valores praticados antes da apreensão.

— Os apartamentos não perderam valor de mercado. Isso tudo não afetou o preço e tudo segue normal.

No entanto, o endereço passou a contar com novos visitantes.

— A movimentação em frente ao condomínio aumentou um pouco. Virou uma espécie de ponto turístico.

Apesar da movimentação, o corretor assegura que a rotina dos moradores permanece a mesma.

— A vida por lá segue normal e nenhum morador colocou à venda depois desse episódio.

LEIA TAMBÉM: Dinheiro atribuído a Geddel supera maiores escândalos da Lava Jato

O corretor informou que o edifício — pertencente à família do deputado Paulo Azi (DEM), aliado político de Geddel — é novo, foi entregue há pouco mais de um ano e ainda conta com unidades novas à venda.

— Nós temos dez apartamentos disponíveis do edifício aqui na imobiliária. Poucas famílias moram lá, alguns apartamentos nunca foram ocupados.

O apartamento usado como bunker por Geddel tem 92m² de área privativa, com três quartos, uma suíte, varanda, uma e duas vagas de garagem, área de serviço, salão de festas, porteiro 24h, espaço gourmet e torre única.


Fonte: Após ‘bunker’ de Geddel, prédio mantém valor e vira ponto turístico

About fmblanco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *